Órfãos do Céu, de Robert Heinlein

Todas as manhãs, ao abrir os olhos, você se dá conta de que está embarcado numa espaçonave relativamente grande, porém finita, vagando em círculos no espaço sideral, sem qualquer rumo definido, à deriva entre bilhões de estrelas; povoada por alguns seres conhecidos e muita gente estranha que devemos temer; enquanto uns executam tarefas mecânicas e permanecem na santa paz da ignorância por toda a vida, outros dominam certos métodos preciosos, crentes de que sabem algo mais – quando, na verdade, nada sabem. Onde estarão as passagens secretas e os caminhos proibidos, neste labirinto de partes inacessíveis, que levam ao conhecimento do bem e do mal? Aperte os cintos da curiosidade humana e seja bem-vindo à Terra.

Situação semelhante é vivida por Hugh Hoyland, um jovem repleto de questões existenciais e espírito aventureiro, em busca de respostas para as dúvidas do mundo que o cerca. Dúvidas como, por exemplo, por que ele teria que passar o resto da vida como fazendeiro e decorar as palavras do livro sagrado sobre onde viemos e para onde vamos? O quê significa “fazer a viagem”, da qual todos falam? Seria uma simples metáfora da passagem para o além, da morte? Ou, ao contrário, possui um significado concreto neste mundo?
Hoyland, que se destaca por sua perspicácia e inconformidade com o status quo, é convidado pelos cientistas e burocratas que dominam sua terra para deixar a vida camponesa e juntar-se às tarefas importantes da casta privilegiada, responsável pela manutenção da ordem e da existência como todos conhecem. Em algum momento, aventurando-se indevidamente por locais não permitidos, ele é capturado por criaturas desconhecidas, que o levam à outros setores de seu mundo, os quais Hoyland jamais imaginou existirem.
Porém ele não está na Terra. Hugh Hoyland, e todos os outros, estão perdidos no espaço, vagando sem rumo na galáxia, dentro de uma gigantesca nave em que ninguém sabe ao certo como manter o controle, e da qual a maioria acredita se tratar de um planeta, ou até mesmo o universo inteiro onde vivem. Isto porque, há tempos remotos, esta mesma nave, ou arca espacial, foi enviada da Terra para a estrela Alpha Centauri, vizinha próxima de nosso sol, a uma velocidade em que a viagem duraria centenas ou milhares de anos, através de muitas gerações que ali dentro viveriam e morreriam sem nunca terem tido contato com a Terra ou outro planeta, até chegarem ao destino final. Décadas após a partida, houve uma grande rebelião de subordinados contra oficiais, o que gerou crise e separação entre duas classes e partes diferentes da mesma nave, levando à perda da cultura original e ao esquecimento dos mecanismo que controlam a viagem, do propósito da mesma e da natureza das engrenagens que os cercam. Após conhecer novas pessoas, palavras, culturas e lugares, os olhos de um jovem curioso nunca mais são os mesmos, podendo levar a um redirecionamento incrível na trajetória da terra que habita. Hugh Hoyland tem o futuro de seu povo em suas mãos. Ele é o personagem principal do romance Órfãos do Céu, escrito em 1941 por Robert A. Heinlein; uma grande referência da ficção científica e, possivelmente, mais conhecido pelo livro Tropas Estelares (1959) – que deu origem ao filme de mesmo nome, dirigido em 1997 por Paul Verhoeven – também este um diretor famoso por obras como Robocop (1987) e O Vingador do Futuro (1990). Ainda não traduzido para o português, o livro Órfãos do Céu pode ser baixado gratuitamente em arquivo PDF na internet, em sua versão original em inglês, bastando digitar no Google: “orphans of the sky heilein pdf”, e selecionar o primeiro link resultante da busca.
Anúncios

Um comentário sobre “Órfãos do Céu, de Robert Heinlein

  1. Pingback: Grandes Escritores: Philip K. Dick | não me Livro desse blog

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s